Ligue-nos: (11) 5594-3277 | (11) 9.8693-4643
E-mail: comercial@fernandesgrossi.com.br
Nosso Horário:
Seg a Sex 08h00 - 18h00

Artigos

1 de fevereiro de 2018

Umidade em edificações – Nem tudo é problema de impermeabilização

Como proceder quando da identificação de umidade em seu imóvel.

Um dos problemas mais incidentes em edificações habitacionais e comerciais é a umidade. Isso se deve ao fato dela ser proveniente de diversas causas e, também, por ser necessário ter um sistema com desempenho 100% conforme – se tiver 99%, a água encontrará caminho nesse 1% irregular.

Uma ideia equivocada que permeia a mente dos leigos e de alguns profissionais da área é a de que se evita umidade nas edificações apenas com sistemas de impermeabilização. Essa é uma ideia limitada que pode trazer graves consequências na hora de reparar algum problema de umidade, tais como retrabalho, gastos desnecessários, demolições indébitas etc.

Analisando a Tabela 1 podemos identificar quais são as origens prováveis da umidade, e pela vivência prática percebe-se que fenômenos de higrospiscidade, condensação e falhas de uso, operação e manutenção, são pouco conhecidos até por profissionais atuantes na área.

Tabela 1: Origem da umidade em edificações.  Fonte: GROSSI, 2018 adaptado de HENRIQUES, 1994.

Outra prática comum nessa área, bastante equivocada, é de apenas tratar o sintoma e não a causa. Por exemplo, a Figura 1 ilustra um caso de descascamento da pintura devido a umidade ascendente provinda do jardim. Em muitos situações já presenciei casos como esse serem reparados com a retirada da pintura solta, a aplicação de algumas demãos de argamassa polimérica (impermeabilizante) e refeita a repintura do local. Essa ação apenas cria uma barreira externa que não impede a ascensão de água pelo revestimento ou alvenaria, conforme Figura 2, o que permitirá que o descascamento volte a ocorrer após algum tempo.

Figura 1: Vista de descascamento de pintura devido a umidade ascendente. Fonte: GROSSI, 2018.

Figura 2: Esquema de umidade ascendente.  Fonte: THOMAZ, 2016.

Portanto, antes de realizar o reparo de qualquer manifestação patológica, deve-se realizar uma investigação da causa e tratá-la, em vez de apenas tratar seus sintomas. Para isso, recomenda-se a contratação de engenheiros civis com especialidade em patologia, perícia, engenharia diagnóstica, tecnologia de construção ou correlatos. Evite, também, postergar o reparo, porque provavelmente serão mais onerosos e mais complicados de resolver.

 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5674: Manutenção de Edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção. Rio de Janeiro, 2012.

HENRIQUES, Fernando M. A.. Humidade em paredes. 4. ed. Lisboa: Laboratório Nacional de Engenharia Civil, 1994.

THOMAZ, Ercio. Aula de Umidade. Curso de Patologia das Construções. Mestrado IPT, 2016.

 

Matéria publicada na edição de Fev/2018 da Revista Direcional Condomínios.

Não reproduza o conteúdo sem autorização da Fernandes & Grossi. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

WhatsApp Logo